Vitamina D no Esporte – Reviva Nutrição

Vitamina D no Esporte

Vitamina D no Esporte

shutterstock_61301581-300x200

A literatura mostra que boa parte da população é considerada deficiente em níveis séricos de vitamina D. Já se sabe de sua importância para regulação do cálcio e saúde óssea, mas, atualmente, pesquisas surgem para demonstrar seus benefícios sobre o desempenho de atletas e menores riscos de lesão.

Os baixos níveis de vitamina D aumentam a produção e atividade do hormônio da paratireoide (PTH ou paratormônio) por baixa absorção intestinal do cálcio, sendo este mobilizado do osso para o sangue, a fim de suprir as necessidades e funções do corpo com esse mineral. Assim, caso esse processo aconteça continuamente, poderá aumentar o risco de fraturas por estresse.

Sítios de ligação para a vitamina D foram identificados em diversos tecidos do corpo, incluindo o músculo esquelético, o que sugere um maior transporte de cálcio no retículo sarcoplasmático, aumentando a eficiência da contração muscular. Acredita-se na interferência positiva da vitamina D na hipertrofia e hiperplasia de fibras musculares do tipo II (contração rápida), predominante em atividades anaeróbicas.

A ingestão de alimentos fonte dessa vitamina (gema de ovo, leites e derivados) demonstra uma biodisponibilidade de absorção em cerca de 50%, o que não descarta a necessidade da exposição solar para conversão dessa vitamina em sua forma ativa (25-OH vitamina D para 1,25 OH vitamina D). Recomenda-se 15 minutos de exposição aos raios UVB, entre os horários de 10h às 15h, sem proteção solar. Essa ação parece fornecer quantidades adequadas dessa vitamina. A exposição solar pode ser prejudicada por eventos ambientais, como cobertura de nuvens, poluição, protetor solar, pigmentação (quantidade de melanina na pele) e idade.

Alguns casos necessitam de suplementação oral individual, com administração média de 1000UI/dia, indicando boa manutenção dos níveis séricos (>30ng/ml).

Obtendo níveis ótimos de vitamina D, o risco de fratura por estresse em atletas poderá reduzir, influenciando no seu desempenho e prevenção de lesões, porém, sendo ou não atleta, o estado ideal de vitamina D é essencial para funções corporais diversas, desde a expressão gênica até o metabolismo de eletrólitos.

Portanto, não esqueça o principal: individualidade. Procure sempre ser acompanhado por um profissional Nutricionista para adequar suas rotinas de treino a um plano alimentar adequado.

Caroline Mota | Nutricionista. Especialista em Nutrição Clínica e Esportiva | CRN6 14141

Referência: OGAN, D.; PRITCHETT, K. Vitamin D and the Athlete: Risks, Recommendations, and Benefits. Nutrients, 2013, 5, 1856-1868.

Por Caroline Mota

NUTRICIONISTA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *