Tratamento de Desordem de Hiperatividade e Déficit de Atenção – Reviva Nutrição

Tratamento de Desordem de Hiperatividade e Déficit de Atenção

Tratamento de Desordem de Hiperatividade e Déficit de Atenção

42-19840854

A Desordem de Hiperatividade e Déficit de Atenção (TDAH) é uma desordem de neurodesenvolvimento caracterizadas por sintomas de hiperatividade, falta de atenção e impulsividade, e estão entre as mais comuns desordens entre as crianças. Uma série de estratégias de tratamento tem sido sugeridas, tanto farmacológicas quanto não farmacológicas.

TDAH está associada a anormalidades na função de catecolaminas no Sistema Nervoso Central, e por esta razão medicamentos que aumentem os níveis de catecolaminas estão relacionados à melhora dos sintomas desta desordem.

Uma categoria de drogas – as drogas classificadas como estimulantes –  são estruturalmente similares às catecolaminas endógenas, e sua utilização causa elevação dos níveis extracelulares  de dopamina e norepinefrina, restaurando o desequilíbrio de neurotransmissores.

A outra categoria de drogas – as não estimulantes – podem agir reduzindo a recaptação seletiva de norepinefrina e dopamina – aumentando níveis de catecolaminas e resultando em melhoras no comportamento.

Os medicamentos podem apresentar uma série de efeitos colaterais, e sua tolerância depende da individualidade de cada paciente.

Dentre as novas alternativa às intervenções farmacológicas, está o tratamento com derivados de produtos naturais. Pelo fato de serem ¨naturais¨, possuem maior aceitação entre os pais das crianças com estas desordens.

Esta revisão discute os potenciais mecanismos pelos quais estes agentes melhoram os sintomas de TDAH.

 

  1. PICNOGENOL®: extrato rico em catequinas, ácidos fenólicos, procianidinas e taxifolina, cada um com diversos efeitos biológicos. Alguns estudos em crianças demonstraram que o tratamento com Picgnogenol ® ( 1 mg / kg /dia) aliviaram os sintomas de TDAH. Os mecanismos sugeridos envolvem o aumento da produção de Óxido Nítrico (NO), o que modula a liberação e receptação de Dopamina e Norepinefrina na fenda sináptica e melhora o fluxo sanguíneo cerebral; redução do Stress oxidativo e melhora da capacidade antioxidante. Desta forma, o Picgnogenol ® pode ser uma possível alternativa de intervenção.

 

  1. HIPERICUM PERFORATUM (Erva de São João) – além de suas propriedades antidepressivas, esta erva também tem demonstrado efeitos benéficos em desordens psiquiátricas como Transtorno Bipolar, Transtorno Obsessivo Compulsivo e Fobia Social. Os mecanismos de ação propostos envolvem a inibição da receptação de Serotonina, Dopamina e Norepinefrina. Como alguns estudos não demonstraram resultados positivos, mais estudos de eficácia e segurança são necessários para determinas a eficácia deste produto tão promissor.

 

  1. GINSENG – possui Ginsenosídeos, uma classe de fitoquímicos com ação neuroprotetora e antioxidante, que estão relacionados a aumento dos níveis de Dopamina e Norepinefrina. Estudos realizados em crianças com TDAH de 6 a 15 anos usando 1000 mg de Panax Ginseng 2 x ao dia demostraram melhora de atenção e recuperação da função cognitiva, assim como redução da Hiperatividade. Desta forma, o Gingeng parece ser promissor como coadjuvante no tratamento de crianças com TDAH.

 

  1. GINKO BILOBA – Os seus efeitos benéficos estão ligados a vários mecanismos, incluindo melhora do fluxo sanguíneo cerebrovascular, ativação de receptores serotoninérgicos e noradrenérgicos, inibição da MAO – A E MAO-B no cérebro. Estudos realizados em crianças aonde foi administrada dose de 240 mg/ dia, por 3 a 5 semanas demonstrou aumento da qualidade de vida e melhora nos sintomas da TDAH. Outro estudo administrou 50 mg de Ginko Biloba + 200 mg de Ginseng por 4 semanas demonstrou menor impulsividade, hiperatividade e agressividade.

 

  1. VALERIANA – planta com efeitos antiespasmódicos e sedativos que é tradicionalmente utilizada em tratamento contra insônia, ansiedade e inquietação. Os efeitos terapêuticos da Valeriana são atribuídos ao Ácido Valerênico, que age sobre receptores Gabaérgico (GABA)1. GABA é o principal neurotransmissor inibitório no SNC e tem ação calmante. Deficiência de GABA causa ansiedade, inquietação e comportamento obsessivo, sintomas frequentemente observados no TDAH. Valeriana é considerada segura, porém, só pode ser usada sob supervisão médica.

 

  1. NINGDONG – Os grânulos de Ningdong são muito utilizados na Medicina Chinesa. Seu mecanismo de ação envolve o aumento sérico de ácido Homovanílico, que está envolvido na regulação da Dopamina. Um estudo utilizando dose de 5mg / Kg / dia em crianças com TDAH demonstrou melhoras nos sintomas, tornando o Ningdong uma possível alternativa de tratamento.

 

BACOPA MONIERI – Estudos demonstraram que Bacopa melhora a memória e o aprendizado em crianças com TDAH. Um estudo feito em crianças, utilizando extrato de Bacopa  numa dose de 225 mg/ dia , demonstrando melhora no auto controle e na inquietação, além de redução de sintomas do TDAH como problemas de aprendizado, impulsividade e sintomas de problemas psiquiátricos. A eficácia da Bacopa tem sido atribuída a seus efeitos neuroprotetores e antioxidantes, assim como ação na regulação da Dopamina e inibição da Colinesterase.

 

PASSION FLOWER  – Os efeitos da Passion Flower ( Flor do Maracujá) em reduzir sintomas do TDAH foram testados em 34 crianças, recebendo dose de 0,04 mg / kg/ dia, 2 x ao dia por 8 semanas. Seus efeitos foram similares ao Metilfenidato, medicamento utilizado para melhorar os sintomas do TDAH, com vantagem de apresentar menos efeitos colaterais.

 

RHODIOLA ROSEA – Os efeitos adaptogênicos, neuroprotetores, anti fadiga, antidepressivo e ansiolíticos do extrato de Rhodiola tem sido demonstrados em vários estudos. Estudos prévios demonstraram que a Rhodiola pode aumentar os níveis de Serotonina através do aumento do transporte de seus precursores ( Triptofano e 5 HTP). Além disso, a Rhodiola parece inibir a atividade da acetilcolinesterase, enzima que degrada a acetilcolina. Estas propriedades demonstram o potencial deste fitoterápico para o tratamento do TDAH.

 

Bibliografia

James Ahn et al. Neural Plasticity; Natural Product-Derived Treatments for Attention-Deficit / Hiperactivity Disorder: Safety, Efficacy, and Therapeutic Potential of Combination Therapy. 2016

 

Por Danielle Lodetti

NUTRICIONISTA

CRN 6 3997

 

2 Comentários

  1. Obrigado.Eu amo seu post obrigado.

  2. Ana Cristina disse:

    Muito interessante e rica pesquisa. Esclareceu Muito!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *