Síndrome Metabólica e Transtornos Alimentares em Adolescentes! – Reviva Nutrição

Síndrome Metabólica e Transtornos Alimentares em Adolescentes!

Síndrome Metabólica e Transtornos Alimentares em Adolescentes!

foto1

A síndrome metabólica(SM) é um transtorno formado por fatores de risco cardiovascular e diabetes, como hiperglicemia, hipertensão, hipertrigliceridemia, baixos níveis de lipoproteínas de alta densidade (HDL), resistência à insulina e excesso de gordura corporal central.Atualmente, a SM vem aparecendo cada dia mais cedo devido a mudança no padrão alimentar de crianças e adolescentes, que tem uma alimentação com alto teor de açúcares e gorduras, além de pularem refeições importantes. A adolescência é também uma fase na qual ocorrem as mudanças corporais e a aumenta a pressão para uma adequação os padrões de beleza estabelecidos atualmente, podendo acarretar uma distorção da imagem corporal, principalmente no sexo feminine. O resultado é um aumento do desejo de emagrecer que pode levar ao uso de métodos compensatórios ou restrição alimentar, e assim desencadear algum tipo de transtorno alimentar(TA), por ser um grupo muito vulnerável nessa fase da vida.

É sabido que tanto a SM como o TA podem causar alterações endócrinas e cardiovasculares, alterando a homeostase metabólica do organismo. Os principais hormônios relacionados à puberdade e ao estirão de crescimento na adolescência são o GH, hormônios tireoidianos, hormônios sexuais, além da insulina e leptina. Com isso, alterações endócrinas decorrentes da SM e dos TAs podem resultar em prejuízo ou comprometimento do desenvolvimento físico desses adolescentes. Com isso é importante acompanhar de perto, pois os dois tem origens multifatoriais sendo desencadeadas por obesidade, sedentarismo, hábitos alimentares inadequados que podem ser considerados fatores de risco para início e desenvolvimento para os TAs.

De acordo com as alterações endócrinas observamos oscilação nos níveis de adipocinas, um mecanismo capaz de alterar o padrão de ingestão alimentar e levar a alterações nutricionais. Sendo um desses a alteração nos níveis plasmáticos de leptina que é responsável pelo controle do centro de fome e saciedade, sendo essa alteração encontrada em estudos com adolescentes obesos e com sinais e sintomas de transtornos alimentares. É importante lembrar que deve-se persistir no tratamento e acompanhamento dessas patologias, pois sem o mesmo elas podem continuar na vida adulta.

Islanne Leal

CRN 12981/P

Referência
CECON, R. S.; GUSMÃO, L. S.; PRIORE, S. E. Transtornos alimentares e síndrome metabólica na adolescência. Revista da Associação Brasileira de Nutrição-RASBRAN, v. 6, n. 1, p. 47-53, 2014.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *