Câncer de Mama – Reviva Nutrição

Câncer de Mama

mao

A ingestão de fontes alimentares protéicas pode ser um potente risco para a incidência de câncer de mama, pois podem contribuir para aumento de fatores de crescimento, relacionados à progressão dos tumores, e também pelo fato de os alimentos de fontes protéicas possuirem composição nutricional bem variada, o que pode ter efeitos diferentes sobre o câncer de mama.

Alguns estudos mostraram que a ingestão de carne vermelha durante a primeira fase da vida adulta foi associada com risco aumentado de câncer de mama em mulheres na menopausa. Além disso, pouca relação foi vista entre a ingestão de alimentos protéicos como peixes, aves, ovos, leguminosas, nozes e o risco de desenvolvimento da doença.

Acredita-se que a exposição a fatores de risco durante o período entre a menarca e a primeira gravidez seja de fundamental importância no desenvolvimento do câncer de mama.

Sabe-se que o desenvolvimento da doença também está relacionado ao “status” dos receptores hormonais e essa condição deve também ser levada em consideração ao avaliar o risco da doença. Alguns estudos observaram a relação entre ingestão de carne vermelha em mulheres pré-menopausadas e risco de câncer de mama, principalmente em mulheres com receptores positivos para hormônios.

Um estudo de coorte realizado com 2830 casos de câncer de mama por um período de acompanhamento de 20 anos encontrou que a maior ingestão de carne vermelha foi acompanhada de um maior risco global de câncer de mama global. Entretanto, o maior consumo de fontes protéicas provenientes de aves, peixes, leguminosas e nozes não foram relacionadas à doença.

No mesmo estudo ao avaliar em relação ao estado de menopausa, encontrou-se que o consumo de aves foi relacionado a menor risco da doença em mulheres pós menopausadas, mas não em mulheres na pré menopausa.

Ao observar os efeitos da troca de fontes protéicas da dieta (substituição de 1 porção de carne vermelha por leguminosas) observou-se que todas as mulheres apresentaram um risco menor de 15%  no desenvolvimento da doença e a mulheres pré-menopausadas um risco menor  de 19%r em relação à essa patologia.

Observou-se também que a substituição de uma porção de carne vemelha por uma porção de outras fontes protéicas combinadas (aves, peixes, nozes e leguminosas) reduziu o risco de câncer de mama de uma forma em geral em 14% e reduziu também o risco nas mulheres pré-menopausadas.

Portanto, o estudo concluiu a importância de uma alimentação saudável e variada na prevenção do câncer de mama, já que maior ingestão de carne vermelha na vida adulta pode aumentar o risco da doença, enquanto que a substituição da carne vermelha por uma combinação de outras fontes protéicas pode reduzir o risco do câncer de mama.

 

Adriana Pereira Sampaio

CRN6 8102

 

Referência:

Dietary protein sources in early adulthood and breast cancer incidence: prospective cohort study.

 

Maryam S Farvid et al., 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *