As Causas dos Desejos na Gestação – Reviva Nutrição

As Causas dos Desejos na Gestação

As Causas dos Desejos na Gestação

gravida-doce1

Sabemos que a nutrição adequada é determinante desde a fertilização até a formação de indivíduos saudáveis para dar continuidade às próximas gerações e ainda garantindo uma longevidade com qualidade de vida.

Durante o período da gravidez, o corpo torna-se mais eficaz na absorção de nutrientes. Então o mais importante, é diversificar o cardápio, fazendo um prato variado, a fim de consumir todas as proteínas, calorias, carboidratos, gorduras, vitaminas e minerais de que precisa.

Os alimentos naturais, quando preservadas as suas características, possuem sabores únicos e extremamente agradáveis. O preparo da própria alimentação é sempre um momento em que se valorizam os alimentos e torna a refeição mais prazerosa.

A utilização dos temperos naturais, como alho, cebola, cheiro verde e ervas aromáticas em geral, além de deixarem os alimentos mais saborosos, ainda têm ações terapêuticas.

O momento da alimentação tem que ser realizada com calma, mastigando devagar e prestando atenção no que se come e saboreando bem os alimentos. É importante considerar a hora da refeição como a única forma de ingerir nutrientes para a obtenção e manutenção de um equilíbrio físico, mental e emocional, utilizando esse momento para curtir, relaxar e obter o máximo proveito de uma ingestão adequada.

No primeiro trimestre da gestação, há um aumento da frequência cardíaca e volume do sangue da mãe, fase importante de desenvolvimento de partes vitais do bebê, como o sistema nervoso. Nesse período, a ingestão de ferro, ácido fólico, zinco e cálcio são muito importantes, e a sua deficiência pode ser a causa dos desejos estranhos.

Tais desejos esquisitos são desordens alimentares denominadas “Picamalácia”. Ela se caracteriza pela ingestão de substâncias com pouco ou nenhum valor nutritivo, comestíveis ou não. Uma das principais razões pela qual ocorre a picamalácia é a deficiência de nutrientes. Porém, sabe-se que fatores emocionais, culturais, socioeconômicos e ambientais estão associados a eles. De acordo com alguns estudos há uma prevalência em adolescentes grávidas, que além de ter as necessidades aumentadas de nutrientes para suprir o bebê, precisa suprir as suas próprias necessidades, porque ainda estão em fase de crescimento.

Os maiores responsáveis pela alteração do apetite são os hormônios prolactina e progesterona, levando a gestante a comer alimentos que antes não gostava, não comer mais suas comidas preferidas ou mesmo ter vontade de alimentos com sabores estranhos. Esses desejos esquisitos podem estar associados a vários transtornos, como anemia, constipação, distensão, problemas dentários, infecções, e interferência na absorção de nutrientes. Ao diagnosticar a deficiência de determinado nutriente, por meio de exames, o obstetra ou nutricionista será capaz de prescrever a devida suplementação à gestante.

 

Por Ticiane Aragão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *