A importância da microbiota intestinal no combate ao câncer colorretal – Reviva Nutrição

A importância da microbiota intestinal no combate ao câncer colorretal

A importância da microbiota intestinal no combate ao câncer colorretal

flora1

A colonização da microbiota intestinal tem sido relacionada a diferentes patologias, dependendo do tipo de microbiota intestinal. Cada bactéria produz metabólitos particulares, e embora saibamos que elas produzem ácidos graxos de cadeia curta, tem alguns tipos de bactérias que produzem mais acetato, outras o proprionato, e ainda outras o butirato que terão diferentes papéis no metabolismo do hospedeiro. A colonização da microbiota pelas bactéria depende da dieta, pois cada uma fermenta a partir de um determinado substrato.

Uma microbiota saudável consegue a partir da fermentação produzir sinais antiinflamatórios por exemplo Interleucina 10. Porém quando a microbiota é ruim pode produzir sinais de danos no DNA e metabólitos pro-inflamatórios que se ligarão aos TLR toll like receptors (receptores pro inflamatórios) no intestino, dando sinais inflamatórios como IL 6, TNfa, aumento de radicais livres, citocinas, e ainda aumento da permeabilidade intestinal.  Se você permanece com uma microbiota intestinal patogênica por muito tempo isso pode favorecer, aquele paciente, já com predisposição genética, o desenvolvimento do câncer.

Estudos analisaram o efeito anti inflamatório e anti apoptótico da microbiota e seus metabólitos para atenuar o desenvolvimento do câncer cóloretal, e puderam observar que metabólitos formados a partir da dieta, como ácidos graxos de cadeia curta, que vem dos carboidratos não digeríveis, das fibras e os fitoquimicos, que serão transformados em desintoxicantes, tem efeito benéfico na produção de sinais antiinflamatórios auxiliando no combate ao câncer. Por outro lado as gorduras, os xenobióticos, e o etanol produzem metabólitos que levam a uma microbiota patogênica, e carcinogênica.  Há cada vez mais evidências que uma alimentação pobre em fibras e rica em gorduras e açúcar resulta em uma microbiota com uma menor diversidade de bactérias, o que combinado com outros efeitos prejudiciais dessas dietas é provável que aumente o risco para o câncer coloretal.

Por Melina Almeida
Artigo Nature set 2014
Louis.P; Hold.L.G e Flint.J.H.Nature Reviews Microbiology AOP, published online 8 September 2014

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *